Archive | julho, 2009

#mussumday

29 jul

15 anos sem seus “is”

Trapalhões são imortais… mas pouco a pouco nos abandonam ou ficam mal humorados. Vale lembrar de onde surgiu o principal figura do quarteto. Salve Originais do Samba!

Esses dias eu vi o Dedé. Quer dizer, cruzei com ele pelos corredores da rádio (veio dar uma entrevista para a Clube FM), pouco antes de fazer as pazes com o Didi. Sujeito plastificado e encurvado… como se as gargalhadas de várias gerações não o deixassem dormir. Parece ter criado uma verdadeira fobia a memórias infantis e nostalgia dos outros. Nojinho de fã marmanjo, sabe como é? Passei reto por ele…

Me pergunto se Mussum estaria assim hoje… 15 anos depois, com o fim dos Trapalhões, piadas recriminadas e um mundo menos inocente, dividido em cotas e mais complicado. Duvido. Mais Mé? Provavelmente…

Tenho certeza que as homenagens realizadas, citações, piadas e tudo mais que envolve a figura do Mussum é uma atitude muito mais egoísta do que nobre. Nós saímos ganhando com a lembrança daquele sorrisão branco nas tardes de domingo. A vida era simples e de riso fácil…

(Fábio Bianchini atualizou a malandragem do Mussum por aqui… )

7ª Rock de Inverno!

22 jul

 

Para mais informações, é só clicar aqui.

40 anos de moonwalk

20 jul

só que o moonwalk é mais velho…

cat power

18 jul

hoje tem show em São Paulo… ano passado teve isso aqui

mais uma cantora para sábado

18 jul

na verdade… duas cantoras.

Tori Amos fez essa semana uma versão de “…Baby One More Time”, da Britney Spears, durante uma apresentação em Oakland.

Segue o áudio…

Parece que essa letra foi feita para Tori Amos interpretar. Bizarro.

Mais Holiday…

18 jul
NYC, 1943. Foto de Gjon Mili

NYC, 1943. Foto de Gjon Mili

Na quinta-feira, o programa conduzido por Leonard Lopate para a WNYC (rádio pública nova-iorquina) recebeu a visita do crítico alemão e diretor do Rutgers University’s Institute of Jazz Studies, Dan Morgenstern. O papo era Billie Holiday, óbvio, e é meio obrigatório para entender sua importância hoje e sempre. Só clicar aqui.

Presta atenção na forma como colocam suas lembranças e relatos pessoais na conversa, junto com toda uma reflexão atual sobre a vida de Billie.

50 anos sem Billie

18 jul

Dia 17 de julho de 2009. Meio século sem Lady Day…

Vida conturbada… voz doce. Isso sempre me intrigou em seu trabalho. A forma como conduzia sua vida, desamores e o péssimo habito de escolher péssimos homens. A infância traumática e a passagem pelo mundo sem ter muita noção do que estava acontecendo. Enquanto isso ela praticamente flutuava pelo palco. Universo paralelo. Faz uma falta…