2039

15 out

lembra aquele papo sobre o texto que eu publiquei na última edição da Curitiba Deluxe? então…

ilustra de guilherme caldas (candyland)

ilustração de guilherme caldas (candyland)

subtropicália 2039


ok… 2h49 da madrugada… um anônimo acaba de me mandar tomar no cu (via blog) e li umas coisas que me desanimaram. Não é a melhor hora de começar esse texto. Ou é?

Bom, amanhã conversamos.

Pra variar eu dormi demais. Acordei 30 anos depois, em 2039. Com Michel Gondry e Nêgo Pessoa de guias, não pergunto como vim parar aqui e me jogo pelas ruas para buscar inspiração, sentir a cidade, o clima, as mudanças, ver os carros voadores e as máquinas de teletransporte.

Nada disso.

Já imaginava que o futuro seria assim… jovens com roupas estranhas, arquitetura de casas arrojadas, ao lado de ícones preservados da cidade. A Rua XV ganhou uma cobertura para proteger seus visitantes da maléfica luz solar. A estatua do Homem Nu foi esteticamente adaptada para uma homenagem feita em memória de Oilman (ganhou um rabo de cavalo e foi envernizada). O Passeio Público está com ares de Central Park e ocupa toda a área que ia do shopping Muller até o Mafalda e arredores. A antiga sede da Curitiba Deluxe foi ocupada por árvores e riachos artificiais. Por sinal, preciso saber como está o Heros lá na Deluxe e se ele ainda precisa deste artigo…

Só não entendi porque suspenderam a Praça Osório para a cobertura de um prédio de 70 andares construído no local que é a sede da atual prefeitura de Curitiba. Central e de olho em toda a capital. Resquícios das duas gestões de Dary Jr. como prefeito. Desde o final do Terminal Guadalupe ele decidiu colocar em prática suas letras e composições e assumiu o compromisso público. Pelo visto ele montou uma outra banda… com seu filho, Dary Neto.

Acessei a rede wi-fi que existe no planeta e pesquisei o que aconteceu nesses 30 anos. Nenhuma novidade, eles sabem muito mais sobre 2009 do que nós, habitantes da época. A surpresa está na forma como nossa produção musical tinha sido assimilada. Algumas figuras continuavam na ativa… como o Relespública que ainda tocava todas as quartas no Hermes, no compasso do Blindagem. Mas o endereço do Hermes mudou… não o local, só o nome da rua. A Avenida Iguaçu agora se chama Waltel Branco graças a seu legado deixado como uma das principais obras da música local. Suas coleções são hoje disputadas em edições de vinil e têm a mesma importância que a obra de Tom Jobim e Duke Ellington. Justiça foi feita (meio tarde).

Bati os olhos nos arquivos do Caderno G e as diferenças gritaram. (Off – grandes figuras que surgiram no twitter ocuparam altos cargos da Gazeta do Povo. A @twittess passou um bom tempo como coordenadora antes de assumir um cargo mais alto na Globo Media Corporation. Seus seguidores continuaram juntos e aumentando). Então… o grito veio em forma de  compreensão. Hoje, em 2039, nossa história é melhor assimilada e refletida, assim como seus personagens. Logo após a primeira turnê do Bonde do Role pela América Latina (que terminou após um ataque de stress sofrido por Pedro, já previsto por uma vidente anos antes), caiu a ficha do público curitibano. Sacou que as fontes de informações estavam ali, prontas para serem descobertas na internet. Acabaram com aquela carência refletida em agressões virtuais e reclamações que acompanhavam a molecada desde o chat que existia no site O Bule. Jornalistas também mudaram um pouco seus critérios e deixaram de queimar o filme em público. Assimilaram que aquela idéia de “banda que vai emplacar no Brasil” não representava mais nada. Nada. A internet mudou tudo. Os critérios de análise se tornaram mais segmentados e, ao mesmo tempo, universais. A banda não era mais avaliada comercialmente ou baseada em gostos pessoais, e sim pela relevância dentro de seu nicho. Mesmo que só tenha emplacado na Indonésia, ela era respeitada e compreendida (enquanto isso, sons ruins continuavam ruins e não despertavam a menor atenção da mídia… ou eram bem criticados) Público, bandas e jornalistas no eixo. Neste grau de importância… Mas o pior é que ainda têm umas figuras de 2009 que insistem em achar a situação… opa. Peraí. Preciso parar. Tem muita gente me olhando estranho porque estou usando um notebook em público… sooo last week.

É bom saber que o futuro nos reserva um pouco de utopia. Quem acha que esse papo vai terminar com uma lição de moral, foi mal ai. Só reafirma que tudo feito em 2009 contribuiu para esta realidade, 30 anos depois. Igual importância para erros e acertos, otimistas e pessimistas… O caminho é esse mesmo e seguido sem arrependimentos.

4 Respostas to “2039”

  1. ramiro outubro 17, 2009 às 7:30 pm #

    Muito bom Guga man!!!!
    Véio, PAVEMENT, vamos ae! Comprando ingresso.
    abssssss

  2. subtropicalia outubro 21, 2009 às 3:28 am #

    26/09/2010 – summerstage \o/

  3. Denis dezembro 12, 2009 às 9:57 am #

    demais, Guga, vc é o carinha. Esse texto merecia muito mais toques, ficou pequeno de tão legal

  4. subtropicalia dezembro 15, 2009 às 2:49 pm #

    É tipo uma série. Vai rolar a sequência…😉

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: