NEP: festas cruzando os mares

20 set

Falei sobre a iniciativa da Smirnoff em um post na semana passada, e aqui vamos com mais algumas novidades sobre o Nightlife Exchange Project… o intercâmbio planetário de baladas. São 14 países envolvidos no projeto que participarão de um verdadeiro troca-troca de festas no dia 27 de novembro… ou seja, a turma dos EUA pode receber uma balada da Tailândia, Grã Bretanha da Argentina, Austrália e Brasil… e por ai vai com o Canadá, Alemanha, Índia, Irlanda, Líbano, Polônia, África do Sul, Líbano e Venezuela. Tudo comandado pelo universo virtual e as redes sociais… a idéia agora é contar com a participação do público para eleger qual é a balada ideal de seu país que merece estar no container e irá cruzar os mares até alguma cidade-irmã. Ai é contigo… você entra na página do projeto no Facebook e participa dessa grande rede de contatos e sugestões sobre a nightlife mundial. Nada muito complicado… pode ser um drink, comida, música, luzes, atitudes, pirações, roupas… não importa. Bate com aquele conceito “Be There” levantado pela campanha… um mero detalhe pode tornar a balada inesquecível.

Como eu passei a semana envolvido com a pesquisa sobre os 40 anos de baladas em Curitiba (novidades em breve =), vou mandar minhas sugestões curitibanas que poderiam estar no conteiner para o mundo conferir:

(mas faz assim antes… primeiro você passa no Bar do Pudim e come um pão com bolinho. Depois toma uma cerveja na calçada d’O Torto e ai cai para a…)

1 – Cambalacho (DJ Anaum e Jeff Bass)

Nosso histórico de baladas voltadas para a boa e velha black music é bem bacana. A Cambalacho é a única que se mantém e uma das mais importantes das pistas curitibanas. Anaum e Jeff Bass conseguiram levar a mistura sonora para um outro nível e assumiram o verdadeiro sentido do nome da festa; é uma grande mistureba bem malandra e brasilera. Tem identidade super forte e caminha numa boa entre o hip hop, beats, grooves, samba e a música eletrônica. Acontece todos os domingos lá no Kubrick.

2 – Batalha de iPod

foto: Luizo Cavet

Tá certo que esse não é um formato novo ou com a cara da Curitiba. Mas tenho certeza que a forma como ele é feito aqui nos pinheirais pode deixar muito gringo com inveja. Uma das noites mais infames da cidade que acontece no James. São 8 equipes em duelos musicais que fazem de tudo para disputa a atenção do público. Já rolou até sangue… de verdade. São  improváveis escolhas musicais que contam com a sorte o tempo todo. Não tem fórmula ou alguma manha para levar o caneco. Na mesma noite você pode ouvir Lady Gaga, Ace of Base, Motorhead, Strokes, Rebolation, Bon Jovi, Luis Caldas, Technotronic e assim segue a festa. O público no comando da pista.

3 – Gente Boa da Melhor Qualidade

foto: Éder Mochi

Gente Boa da Melhor Qualidade é garantia de pista cheia, samba e história. Taí uma iniciativa com a cara da cidade; um bando de músicos curitibanos/polacos de diferentes áreas (e roqueiros!) resgatando a obra de Adoniran Barbosa, Noel Rosa, Cartola, Silvio Caldas e mais alguns eternos nomes do samba. São versões sagazes em clima de boteco… que as vezes até podem cair para o funk carioca.

e ai? qual é a sua sugestão? é só clicar aqui e participar!

2 Respostas to “NEP: festas cruzando os mares”

  1. felipe gollnick setembro 21, 2010 às 12:05 am #

    tá faltando show do klezmorin!
    haha, brincadeira!

Trackbacks/Pingbacks

  1. NEP: Semana teeeeensa « subtropicália - outubro 18, 2010

    […] é bom lembrar como é que funciona o projeto… aqui, aqui […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: