Tag Archives: 2010

novo disco do warpaint

19 out

“The Fool” é o primeiro disco do Warpaint e tem lançamento marcado para o próximo dia 25… mas já vazou. Enquanto isso a Rough Trade aproveitou para liberar a sua audição “formal”… com o reforço do Hype Machine. Que empenho…

um salve para a melancolia californiana…

Não esperava esse resultado… ja é um dos discos do ano.

Ouve ai. depois conversamos

 

Anúncios

novo ruído

5 out

voltei.  férias agora só ano que vem… blog de cara nova e um material bacana na manga para ser publicado ainda essa semana… no ar coquetel molotov, hotel avenida, zé cafofinho e (reza a lenda que) até sai a #6Marmita…

Para começar bem vamos com uma faixa nova do ruído/mm. Quer dizer… suas composições são sempre “novas”. Mutantes que ganham diferentes caras e refletem os vários momentos da banda. Domingo passado (03) eles tocaram no SESC da Esquina e apresentaram algumas músicas “inéditas” que estarão no próximo disco.

“Folk” fechou o show e dá pistas de como será o próximo álbum do ruído… É uma baladona com maior presença do piano, leve, cheirando a mato… que termina em uma festa psicodélica com dançarinas de can can em clima de cabaret.

ou não =)

já volto

recife

23 set

férias. estou perdido pela capital pernambucana (junto com minha adolescência)…

e amanhã começa o…

depois eu conto

=)

machismo sentimental

23 set

Ele voltou. Semana passada, Giancarlo Rufatto lançou mais um disco virtual e mantém o ritmo intenso de registros independentes fazendo o uso correto das atuais ferramentas disponíveis. Sem o mimimi de quem espera soluções caírem do céu. Ainda estou ouvindo o disco com calma e aproveitando cada imperfeição que faz parte do universo urbano-sentimental (e estabanado) de suas composições. De cara dá para notar que em “Machismo”, Rufatto só reafirma como fica à vontade nesse clima de gravações caseiras, arranjos simples e letras bem espertas com dilemas universais do homem moderno (olha o Lovecast ai, gente!). Ouça o disco com atenção e se identifique com suas histórias… ou só deixa ele tocando de fundo e se surpreenda aos poucos.

Giancarlo Rufatto – “Machismo”

tambor emocional

16 maio

Que foda o show do Otto. Um terreiro pop para despacho emocional. Todo mundo torcendo para ele continuar com o coração partido e lançar outros vários discos com a mesma densidade de “Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos”. O homem perde alguns de seus principais valores na vida (mulher, parentes, prestígio, apoio…), chega ao fundo do poço e se descobre livre para poder cantar e rugir o que bem entender. O desapego canalizado no pandeiro invisível de Otto e suas composições. Ele continua o mesmo no palco, com o molejo do terreiro e as insistentes tentativas de comunicação com o público… mas tem o peito estufado de um homem que esteve na merda e superou tudo.

Otto vem bem acompanhado. Especialmente na apresentação de Curitiba (15/05) que contou com a participação de BNegão na faixa “Cuba” (deixando no chinelo as rimas de Chorão – ele mesmo – do disco “Condom Black”) e a seleção absurda de músicos em sua banda. Ecos de Nação Zumbi, 3namassa, Cidadão Instigado… Depois de testemunhar Fernando Catatau chorando com a guitarra no palco, eu mudei meu conceito de lamento na música. Vou pensar várias vezes antes de usar o termo em qualquer outro texto.

A carga emocional não é perdida quando eles resolvem resgatar alguns clássicos da carreira do galego de Olinda… com uma cara mais “intranquila”. Mesmo que seja a história chapada de uma menina, seu noivo e um baseado na praia.

última lista de 2009…

29 jan

… juro!

Para acabar de vez com o ano do Boi! Segue a última lista com minhas escolhas para melhores discos internacionais de 2009. Já tinha publicado as listas de melhores da década e lançamentos nacionais do ano… só faltava essa mesmo. E veio com bônus…

Se tem validade a sua publicação agora… ou se faz alguma diferença? Sim e sim. Me acompanhe…

17 – Passion Pit – “Manners”
16 – Franz Ferdinand – “Tonight Franz Ferdinand”
15 – Arctic Monkeys – “Humbug”
14 – Grizzly Bear – “Veckatimest”
13 – Jónsi & Alex – “Riceboy Sleeps”
12 – Yeah Yeah Yeahs – “It’s Blitz!”
11 – Rain Machine – “Rain Machine”
10 – Girls – “Album”
9 – Japandroids – “Post-Nothing”
8 – Sonic Youth – “The Eternal”
7 – The XX – “XX”
6 – Yo La Tengo – “Popular Songs”
5 – The Phenomenal Handclap Band – “The Phenomenal Handclap Band”
4 – St. Vincent – “Actor”
3 – Phoenix – “Wolfgang Amadeus Phoenix”
2 – Whitest Boy Alive – “Rules”
1 – Animal Collective – “Merriweather Post Pavillion”

Resumindo: na hora que vazou o disco do Animal Collective (em janeiro!) o ano já era deles… por mais que fãs e jornalistas tentem complicar o som do AC, seus integrantes parecem descomplicar. Sabe o Ramones? O que eles fizeram no final dos anos 70, com o rock progressivo e todas as grandes masturbações sonoras? Então. O combo de Baltimore simplifica ao máximo, brinca com o que já existe, desconstrói e abusa dos estímulos… Ainda nessa onda de simplificar, as duas grandes novidades do ano se especializaram nisso antes mesmo de saírem da garagem. The XX e Girls. Produção relaxada e despretenciosa… som original que resume bem alguns pontos interessantes que a música passou no século XX. Eles parecem alguma coisa que você já ouviu, mas não sabe onde. O mais impressionante é a melancolia e nostalgia carregada na atmosfera das músicas (sejam ensolaradas com o Girls ou sombrias com XX). Saudades de fatos e histórias que não são deles! Ou de suas épocas….

Saindo fora dessa vibe simples demais e caindo um pouco para a psicodelia e experimentalismo, lá do Brooklyn (de novo) vem a The Phenomenal Handclap Band e St. Vincent. Da mistura de sons africanos, com música eletrônica, disco, e até psicodelia brasileira (!), o The Phenomenal Handclap Band conseguiu lançar um dos discos mais variados e surpreendentes do ano. Parece muito mais uma coletânea de diferentes bandas do que um álbum. A St. Vincent cai na sujeira e distorção em trilhas sonoras de contos de fadas. A surpresa sempre foi uma das grandes armas de uma boa composição.

Algumas viúvas de sucessos recentes da música alternativa ficaram felizes com os discos do Rain Machine (projeto de Kyp Malone, do TV On The Radio) que se afunda em mantras e texturas, assim como o Jónsi & Alex (integrantes do Sigur Rós) que parte para o outro lado e retoma alguns pontos da boa fase do grupo islandês…

Isso tudo e mais 10 discos super indicados. A supremacia do Yo La Tengo e Sonic Youth; os explosivos discos do Arctic Monkeys, Yeah Yeah Yeahs e Franz Ferdinand; a suavidade do Phoenix, Grizzly Bear e The Whitest Boy Alive; os extremos Japandroids e Passion Pit

Vários sons legais para você ouvir… se é que você deixou passar alguns desses nomes, ou simplesmente não botou fé. 2009 foi um ano bacana… mas 2010 ta ai, o que você está achando?

delta cockers 2010

29 jan

Eles estavam afim de fazer o lançamento do novo single na semana entre Natal e Ano Novo. Ou era na semana do Natal… não lembro bem. O que interessa é que saiu a faixa “Marsupiais” e o Delta Cockers (formado por Panke e Marcell) começou o ano antes da hora. A música estará no próximo EP deles, “A Revanche do Robô”, com lançamento marcado para os “próximos dias”… Tudo isso acontece em um momento no qual o duo passa por uma pequena reformulada no formato ao vivo… Surpresas?

Mas, voltando aos marsupiais, o melhor é a participação da doce Rosanne, do Rosie & Me, cantando em português. Não tem como dar errado.

Delta Cockers (participação de Rosie) – “Marsupiais”