Tag Archives: Brooklyn

mais mixtapes

14 ago

a coisa ta pegando no INMWT.  Saíram as mixtapes com bandas do Brooklyn e de Montreal, produzidas por Eder Costa.

Anúncios

sondre lerche cresceu

12 ago

Quem também se prepara para lançar um novo trabalho é nosso queridão cantor norueguês do Brooklyn, Sondre Lerche. “Heartbeat Radio” tem lançamento marcado para dia 8 de setembro, e a estréia do primeiro single do disco aconteceu no início de julho. Tem download liberado da faixa “Good Luck” no blog/site Brooklynvegan… é só chegar lá. Sondre Lerche cresceu de verdade e esse quinto álbum de estúdio não parece ter aquelas estranhezas encantadoras encontradas em seus trabalhos anteriores. Mais curtido… melodias fechadas e as histórias continuam bem contadas.  Esse parece ter sido o objetivo do músico e compositor desde o princípio. Seus primeiros trabalhos eram mais vivos, rápidos e na base do feeling. “Heartbeat Radio” foi melhor elaborado em estúdio, e ganhou corpo com influências que passeiam pelo jazz dos anos 50, pitadas oitentistas, cordas, sopro e até psicodelia brasileira (segundo a introdução que esta no Myspace). Em certos aspectos ele precisava de tais recursos, com mais tempo e dedicação em um disco. Seu talento já provou isso.

Segue ai o registro da primeira vez que Lerche tocou “Heartbeat Radio” ao vivo, faixa que da uma sacaneada legal nas FMs… tudo colocado de uma maneira bem-humorada e leve…

mais uma… dessa vez é “Almighty Moon”

… e para fechar, “Like Lazenby”, uma espécie de tema criado por ele para o James Bond. Não todos os 007 que passaram pelas telonas, mas especificamente para o ator australiano George Lazenby, que interpretou somente uma vez o papel do espião britânico, em “On Her Majesty’s Secret Service” de 1969. Enquanto assistia uma entrevista com o ator, Lerche sentiu uma certa tristeza no olhar de Lazenby. Principalmente depois de questionado sobre a falta de outros convites para viver James Bond no cinema. E o jovem músico encontrou uma canção ai…

no deachunter

5 ago

A idéia começou bizarra mas vingou. Projeto “No Deachunter” é a união do No Age, Dan Deacon e Deerhunter e é uma grande mistura ao vivo de todas suas composições. Até ganhou uma camiseta com a arte feita pela Lovefoxx (que pelos relatos em blogs ja é artigo de colecionador – não pela arte, mas pela história em si). Começou dia 31 de julho, em Baltimore, e segue o vídeo editado com a abertura do primeiro show… uma versão da faixa “Cryptograms”, que leva o nome do álbum lançado pelo Deerhunter em 2007… (o vídeo tem 10 minutos mas vale a pena… relaxa ai)

foda!

Esse final de semana eles tocaram no Brooklyn. Estavam escalados para a “Pool Party” mas pelo visto choveu. Muito. A apresentação foi transferida para um antigo boliche e a molecada foi obrigada esperar algumas horas na fila para poder assistir uma das duas apresentações que eles fizeram no dia (conforme segue o relato do Pop Tarts Suck Toasted).  Esperaram, esperaram e o resultado final é incrível.

(Enquanto isso o novo EP do No Age, “Losing Feeling” foi disponibilizado em streaming hoje. Aqui. Mas para ouvir tem que estar logado no site da Sub Pop)

via gringa

6 mar

noite de sexta na internet?

goodbye blue monday / brooklyn

goodbye blue monday / brooklyn

 

acabou de chegar esse mail do Cassim:

 

Aqui é o Cassim. Estou em NY e ontem nós (Cassim & Barbária) demos um
show explosivo no Lit Lounge. Hoje, sexta dia 6 tocaremos no Brooklyn
com a banda brasileira mais legal de NY, The Soundscapes. A BOA
NOTÍCIA é que vc vai poder asistir o show ao vivo, aqui:

http://www.goodbye-blue-monday.com/

Cheque entre 12AM e 1h30 horário brasileiro dessa sexta.


E assim começa a turnê norte-americana deles…

5 mar 2009 21:00
Lit Lounge New York, New York
6 mar 2009 21:00
Goodbye Blue Monday w/ The Soundscapes Brooklyn, New York
7 mar 2009 20:00
The Saint w/ Fun Machine/Zazen Boys Asbury Park, New Jersey
13 mar 2009 22:00
Canadian Music Week 2009 – Holy Joe’s Toronto, Ontario
15 mar 2009 20:00
O’Brien’s Boston, Massachusetts
20 mar 2009 22:00
SXSW 2009 – The Rio Austin, Texas
26 mar 2009 20:00
Tasty World Athens, Georgia
28 mar 2009 20:00
Velvet Lounge Washington DC
30 mar 2009 20:00
Johnny Brenda’s w/ Afterhours Philadelphia
3 abr 2009 20:00
Kung Fu Necktie w/ Garotas Suecas Philadelphia, Pennsylvania

 

 

enquanto isso, hoje termina a mini-turnê que o Wandula realizou pela Suíça… é a segunda vez que eles tocam por lá como um trio (a formação atual conta com a Edith, Torrone e Felipe), e fizeram seis apresentações…

 

Freitag, 06. März ab 20.30h

Wandula-Trio in der Kulturbar Baradies in Teufen

www.baradies.populus.org

 


a coisa está clareando e perdendo o controle por aqui… o público e a mídia curitibana terá de perder na marra esse comportamento mais provinciano (que vai dos extremos; a) negligenciar a produção local / b) tratar na base da “boa ação” ou c) achar o máximo e pagar de salvador da pátria fazendo o “favor” de investir e acreditar na cena) e aceitar de uma vez por todas esse sentimento cosmopolita empurrado pelas bandas que se jogam na estrada e fazem a coisa acontecer. Tem uma nova geração de consumidores locais que ja pensa assim…. nicho de mercado que não depende de rádio/tv/jornal… só internet e shows. Muitos shows…

Acredito mesmo que vai chegar um dia em que a música será tratada como música na cidade… até lá a gente vai aproveitando esse clima de euforia e descobertas. Cassim e Wandula são apenas dois exemplos para mostrar como a inserção de Curitiba no mundo, vai além de um mero “clique” do mouse…

bon iver e a nostalgia

9 dez

 

Bon Iver - Bowery Ballroom / 29-07-08 (foto minha)

Bon Iver - Bowery Ballroom / 29-07-08 (foto minha)

 

Aproveitando essa euforia toda em cima do disco “For Emma, Forever Ago”, do Bon Iver, lançado de forma independente no final do ano passado e em fevereiro pela Jagjaguwar e 4AD… bateu uma nostalgia. Vi uma apresentação dele em julho e foi marcante (piegas, não? mas é verdade). Ai lembrei desse relato cru e em ritmo de férias que fiz para meu antigo blog. Nada de muitos detalhes ou observações mais técnicas e/ou “filosóficas”. Tava na boa, de férias, bêbado e resolvi comentar…

Justificativas terminadas… segue o pequeno relato:

 

Ontem rolou o show do Bon Iver no Bowery Ballroom (NYC)… Ele consegue ir de Coldplay a Sigur Rós com um toque…. vai aos extremos com levadas tranquilas e bonitinhas que se transformam em paredões de distorção e caos…. funciona muito bem ao vivo, melhor do que eu esperava e exatamente no clima que paira por todo o Brooklyn neste verão…. pelo menos aqui os anos 80 acabaram ano passado (em partes, né) e o que rola pelas ruas de Williamsburg mais parece uma celebração hippie pós-moderna…. sim, estranho pacas mas a primeira impressão é essa (dá um desconto… cheguei domingo por aqui!)

Voltando ao Bon Iver…. o show inteiro foi com as composições de seu primeiro disco “For Emma, Forever Ago”… Justin Vernon é o grande cabeça da historia e até brincou com isso dizendo ” temos que tocar todas as músicas do disco… nada de novo… desculpa ai gente, ser headliner sem ter muito repertorio dá nisso..” 

Segue um trecho que eu peguei da faixa “Skinny Love”… logo no começo do show e mesmo sendo o grande sucesso deles, foi a mais “mais ou menos” da noite…. 

 

 

a menina que antecipou o refrão foi bem fofa…. mas o silêncio era tão grande que dava para ouvir o som do ar-condicionado…

Esse relato foi devidamente salvo na época pelo Denis, no INMWT… falando no vizinho, se você estiver procurando o novo EP do Bon Iver, “Blood Bank”, clique aqui e aproveita…  será (mesmo?) lançado em janeiro.

 

Ponte Brooklyn???

21 out

Que a edição 2008 do Tim Festival esta estranha, é mais do que explícito… esse lance de separar ainda mais os palcos e as noites, criar “temas” e tentar apostar em vertentes esgotadas (“Novas Raves”… meio 2005 demais isso, não?) já se mostrou uma fórmula falha. Pronto falei.

E agora então? Sem Paul Weller e The Gossip?

Mas o principal erro deles foi apostar em uma tendência certa e não saber explorar…. criar o palco “Ponte Brooklyn” e chamar o The Nacional parece contraditório. Fato que o Brooklyn hoje é o celeiro de bandas e sons originais… o MGMT é prova disso e salva a noite… mas o The National não tem absolutamente nada a ver com as experimentações em Williamsburg, Bushwick e redondezas… não divide a atual inspiração utilizada por MGMT, Yeasayer, Hercules & Love Affair, Battles e cia… sonoridades diferentes entre si, frescas e pensadas. 

E quem for acompanhar o MGMT no Tim, prepare-se: a apresentação é sensacional. Relevem esse papo de que eles viajam nas experimentações e “se perdem” no meio do show. Balela. É só ouvir o disco umas 2 ou 3 vezes com calma para imaginar  e perceber as diferentes possibilidades que eles têm ao vivo… e a utilizam da melhor maneira.  Tive a oportunidade de conferir o show dos caras no Lollapalooza e passou longe de ser uma decepção… Segue o vídeo de “Future Reflections”.